Um livro de receitas especiais e gratuito para você!

Você sabe qual é a importância que uma dieta equilibrada possui para a sua saúde? 🤔❓ A nossa nutricionista, Mirella Torchia, preparou um livro com receitas para que você viva uma vida com mais qualidade! 📖🥗

Preencha o formulário abaixo para acessar e fazer download do livro de receitas especiais!

DIA DO NUTRICIONISTA- CEONABC ENTREVISTA DRA. MIRELLA TORCHIA

Nós já te contamos aqui como o acompanhamento nutricional é essencial no tratamento oncológico. No Dia do Nutricionista, entrevistamos a Dra. Mirella Torchia, do CEONABC, que reforça a importância deste trabalho com detalhes e dicas sobre a especialidade.

A nutrição vem agregar o trabalho multiprofissional da equipe oncológica, normalmente constituída por médico, enfermeiro, farmacêutico, psicólogo e nutricionista. Tudo isso para buscar minimizar os sintomas e ajudar a melhora da qualidade de vida e do tratamento do paciente com câncer.

Por que a nutrição é necessária?

 

De acordo com Mirella, a evolução da doença faz com que o indivíduo reduza a ingestão alimentar por conta dos efeitos colaterais causados pelas medicações e alterações fisiológicas. Essas alterações promovem o retardo do esvaziamento gástrico e redução do apetite, ou problemas de absorção, gerando incômodo e isolamento social.

“O Trabalho do Nutricionista em cuidados paliativos ajuda a minimizar o desconforto causado pela alimentação, prioriza o prazer pela ingestão alimentar e favorece a socialização entre pacientes e familiares durante as refeições”, afirma.

A dor é o sintoma que exerce grande impacto sobre a qualidade de vida, influenciando humor, mobilidade, sono, etc. Outros sintomas como anorexia, depressão, ansiedade, constipação, disfagia, dispneia e astenia igualmente acometem o paciente, afetando as relações sociais e profissionais. Por este motivo, o controle dos sintomas possibilita que o sujeito possa realizar o que tem vontade, proporcionando uma finitude digna e com sofrimento reduzido.

As causas da perda de apetite e dificuldade de alimentação podem ser muitas. Entre elas, a Dra. cita alterações hormonais e metabólicas causadas pelo tumor, pela quimioterapia e/ou radioterapia. A dor ao deglutir, causando feridas, mucosite e outros sintomas como náuseas e vômitos, também contribuem para a alimentação deficiente.

Soluções possíveis

Os suplementos nutricionais são outro ponto abordado por Mirella. “Eles podem ser em pó ou em sua forma líquida”, explica. “Infelizmente são caros e pouco acessíveis, não sendo vendidos em qualquer lugar”. A nutricionista do CEONABC lembra que os hipercalóricos e hiperproteicos são os mais utilizados, pois o paciente perde grande quantidade de massa magra e peso. A nutrição enteral (NE) também pode ser feita por meio de sonda nasogástrica ou percutânea.

A Dra. Torchia explana que algumas dietas podem ser orientadas para minimizar os efeitos colaterais do tratamento, como a sem resíduos. Nela são retirados os grãos. “Existe também a dieta laxativa ou obstipante, que prioriza chás e frutas cozidas ou assadas, sem casca”, comenta. “Em alguns casos retira-se a lactose”.

Conselhos da Nutricionista

Ela ainda dá dicas para a melhora do paladar. “O uso de temperos naturais como o orégano, cúrcuma e manjericão ajuda a dar sabor à comida. O limão na sua forma de sorvete auxilia a aceitação alimentar”. Mirella complementa que alimentos azedos são ótimos para estimular a produção de saliva.

Segundo Mirella, a má alimentação ao longo do tempo, com o consumo de processados e industrializados pode influenciar no surgimento de um câncer. “Dietas com grandes quantidades de farinha branca, açúcar e pobres em vitaminas também são um fator de risco”.

O CEONABC é referência no tratamento contra o câncer. Temos profissionais altamente capacitados e em constante atualização. Nosso corpo clínico preza pelo atendimento humanizado e busca, através de participações em estudos, pesquisas e simpósios, as melhores alternativas em oncologia.

Acompanhe nosso site e redes sociais para mais informações e novidades!

A IMPORTÂNCIA DA INTERVENÇÃO DO NUTRICIONISTA NO TRATAMENTO ONCOLÓGICO

nutricionista

Na Oncologia atual é de enorme importância a abordagem multidisciplinar no tratamento do paciente oncológico, onde o médico oncologista trabalha de forma integrada a uma equipe multiprofissional e conta com a colaboração de outras especialidades como Patologia, Radiologia, Radioterapia, Cirurgia, Psiquiatria, Enfermagem, Farmácia, Psico-oncologia, Fisioterapia, Nutrição e muitos outros profissionais. No Centro de Oncologia do ABC não é diferente, e a equipe multidisciplinar atua de forma integrada para prestar um atendimento de excelência aos seus pacientes.

A intervenção Nutricional agrega conhecimentos importantes na atuação da equipe multiprofissional. O suporte nutricional é decisivo na manutenção da saúde e da qualidade de vida dos pacientes, por preservar a integridade intestinal, melhorar o balanço nitrogenado, restabelecer a imunidade mediada por células e acelerar a cicatrização e reparos dos tecidos doentes. Traz ainda benefícios adicionais como a redução no tempo de permanência e a mortalidade de pacientes que necessitam internação hospitalar, seja para a realização de cirurgias, ou para o tratamento de intercorrência sérias como as infecções.

Por meio de nutrientes especialmente selecionados, é capaz de melhorar significativamente o estado nutricional de pacientes oncológicos e, consequentemente, o prognóstico destes. Ainda mais importante do que isso, a orientação de uma nutricionista pode atuar de forma expressiva na qualidade de vida dos pacientes, melhorando a aceitação alimentar, reduzindo sintomas e ajudando os pacientes em suas interações sociais.

Seguem algumas das principais orientações e dicas nutricionais:

– Falta de apetite:

  • Se for difícil comer alimentos sólidos, ingerir líquidos como vitaminas por exemplo. Podem ser combinadas diferentes frutas e acrescido sorvete ou iogurte para torná-la mais nutritiva;
  • Sopas podem ser bem atraentes e apetitosas nesses casos;
  • Suplementos nutricionais específicos são boas alternativas, para serem acrescentados na dieta líquida e ajudam na recuperação do paciente;

 

– Boca Seca (xerostomia):

  • Beber líquidos em pequenas quantidades várias vezes ao dia.
  • Acrescentar molhos, caldos e líquidos nas refeições.
  • Balas azedas ou de hortelã são uma alternativa.
  • Pergunte ao seu médico sobre a saliva artificial.
  • Suplementos nutricionais específicos para pacientes com câncer.

 

– Náuseas (enjôos) e vômitos:

  • Fazer várias refeições pequenas ao longo do dia.
  • Evitar líquidos durante as refeições.
  • Evitar frituras e alimentos gordurosos.
  • Evitar bebidas alcoólicas, cafeína ou condimentos muito fortes.
  • Não deitar logo após a refeição.
  • Evitar sentir o cheiro dos alimentos durante o preparo.

 

Restando dúvidas, consulte um nutricionista para uma avaliação individual.

REFERÊNCIAS:

  1. World Cancer Research Fund (USA). Food, nutrition, physical activity and prevention of cancer: A global perspective. Washington (DC): American Institute for Cancer Research; 2007.
  2. Instituto Nacional de Câncer (Brasil).: Incidência de câncer no Brasil.: http://www.inca.gov.br/
  3. WAITZBERG, D. L. Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica. 4ª. ed. São Paulo: Atheneu, 2009.
  4. Ikemori, EHA e Cotrim, TH. Manual de Alimentação para pacientes em quimioterapia. Hospital do Câncer AC Camargo, setembro de 2004.

 

ELABORADO PELA NUTRICIONISTA DO CENTRO DE ONCOLOGIA DO ABC, MIRELLA BOSCATTO TORCHIA CRN 31978

Veja também: VACINAS CONTRA GRIPE INFLUENZA EM PACIENTES COM CÂNCER.

 

WhatsApp chat