Setembro Amarelo e a importância do cuidado com a saúde dos profissionais da área da saúde

Quando mencionamos o suicídio, muitas vezes direcionamos a nossa atenção e mensagem para pacientes acometidos por uma doença, porém nem sempre mencionamos os profissionais da área da saúde que, devido a uma série de motivos, estão entre as categorias que mais cometem suicídio dentre todos os segmentos.

Da mesma forma que o suicídio é entendido como um tabu na sociedade, também é entre os profissionais, por mais que eles tenham o conhecimento sobre os benefícios que podem ser obtidos através da conscientização e divulgação de informações a respeito do assunto.

Ninguém está isento dos momentos de dificuldade e delicados e, seguindo esta linha, os profissionais da área da saúde também estão sujeitos aos mais diversos transtornos e/ou síndromes psicológicos.

É fundamental que se tenha uma atenção especial para a categoria, pois como estes profissionais trabalham diretamente com aspectos de vida ou morte no seu dia a dia, é possível que isso desencadeie uma série de respostas emocionais negativas.

Diversos estudos têm demonstrado a importância de debater mais profundamente sobre o tema e incentivar que seja criada uma rede de proteção à saúde dos profissionais de saúde.

A psicoterapia é uma das respostas e soluções que pode ser adotada para restabelecer o bem-estar psíquico destes profissionais que, cada vez mais, estão vulneráveis aos mais suscetíveis fatores de risco que podem desencadear ideações suicidas e demais sintomas depressivos.

O suicídio deve ser compreendido como uma questão de saúde pública e a cada ano que passa se faz mais necessário estabelecer objetivos que possam reduzir a sua prevalência na população.

Caso você precise de ajuda imediata, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV) pelo número 188.

Setembro Amarelo e o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio

O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, celebrado anualmente no dia 10 de setembro, é um dos principais marcos da campanha do Setembro Amarelo por falar direta e abertamente sobre este tema tido como um tabu na sociedade moderna.

As pessoas costumam acreditar que falar sobre o suicídio poderá incentivar uma pessoa que esteja passando por um momento delicado ou que tenha ideações suicidas a concretizar o ato, porém essa é uma noção que precisa ser quebrada.

O suicídio é entendido como uma solução para as pessoas justamente porque elas desconhecem outra saída que não seja essa para lidar com o seu sofrimento.

Porém, como diversas campanhas anunciam incansavelmente, o suicídio não é a solução. O que a pessoa está tentando combater é, na verdade, a dor que sente naquele momento e não um ponto final na vida propriamente dita.

Os profissionais psicólogos e psiquiatras são fundamentais para o cuidado com a saúde mental. Quando combinados com as suas devidas competências, podem trazer resultados incríveis para pessoas que tenham ideação suicida e/ou estejam em depressão profunda.

No caso dos pacientes oncológicos, de acordo com um estudo apresentado em 2018, estima-se que 12,5% dos participantes apresentaram ideação suicida e, além disso, a depressão é entendida como uma das principais complicações que pode surgir a partir de um diagnóstico da doença.

Desta forma, é fundamental que orientemos os nossos pacientes para que eles procurem por ajuda profissional e tomem conhecimento sobre os benefícios que podem ser obtidos através de um trabalho psicólogo.

O paradigma sobre psicólogos e psiquiatras cuidarem de loucos deve ser rompido de uma vez por todas, pois é comum que durante a trajetória da vida as pessoas apresentem momentos de dificuldade dos quais podem ser beneficiados quando procurarem por ajuda profissional.

Caso você precise de ajuda imediata, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV) pelo número 188.

Setembro: o cuidado com a saúde mental e a importância de se falar sobre o assunto

O setembro amarelo é uma campanha nacional iniciada em 2015 pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) fundamental para a conscientização e informação da população em relação ao suicídio.

Se tratando de um assunto diretamente associado à depressão, o suicídio é um fenômeno que está cada vez mais presente em nosso cotidiano, seja por meio das campanhas que são elaboradas com o intuito de incentivar a população a procurar por ajuda ou pelas grandes mídias e a divulgação de casos relacionados com o tema.

E, em períodos delicados, como o que estamos vivendo, abordar sobre este assunto se torna ainda mais importante, tendo em vista que é comum que as pessoas desencadeiem uma série de reações emocionais pelos mais variados motivos como, por exemplo, incerteza em relação ao futuro, dificuldades financeiras e até mesmo problemas de saúde.

A depressão é uma das principais complicações relacionadas às mais diversas doenças e, portanto, o cuidado com a saúde mental se torna imprescindível.

É importante que as pessoas saibam que não estão sozinhas e que há uma solução para os sentimentos que se afloram nos momentos de dificuldade.

Nós do CEON ABC trabalharemos uma série de conteúdos relacionados à saúde mental durante o mês de setembro para contribuir para a conscientização da população e informa-la sobre o tema.

Procure ajuda e permita-se ser ajudado! Você é maior que as dificuldades e os problemas que possam surgir e possui plenas condições para superá-los.

Caso você precise de ajuda imediata, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV) pelo número 188.

Mês do combate ao câncer de pulmão: informações gerais e importância dos médicos pneumologistas

O grande fator de risco: cigarros

Dados divulgados pelo INCA (2020) sugerem que cerca de 85% dos diagnósticos confirmados de câncer de pulmão estão relacionados com o tabagismo, sendo este o principal fator de risco para o desenvolvimento da doença.

Isto, inclusive, é um dos principais motivos pelos quais há tantas campanhas de conscientização sobre a doença e interrupção e/ou diminuição do consumo de cigarros, já que seria possível reduzir drasticamente a quantidade de pessoas acometidas pelo câncer de pulmão e, consequentemente, o número de mortes anuais através destas medidas.

Pneumologista: peça-chave no diagnóstico e tratamento do câncer de pulmão

Vivemos em um país que não prioriza a prevenção, que é um ótimo aliado para a saúde da população, já que possibilita o diagnóstico precoce e, consequentemente, aumenta a possibilidade de sucesso do tratamento.

Sendo assim, o percentual de pacientes com câncer de pulmão diagnosticado em um estágio avançado é altíssimo e reforça a importância da realização dos exames de rotina regularmente.

Desta forma, o médico pneumologista se torna uma figura fundamental, pois possivelmente será ele quem obterá o primeiro contato com o paciente devido à manifestação de alguns sintomas típicos das doenças pulmonares. Um trabalho multidisciplinar é importantíssimo para o sucesso do tratamento, portanto nós do CEON ABC gostaríamos de aproveitar a oportunidade para parabenizar o papel do médico pneumologista no combate ao câncer de pulmão.

Agosto: o mês de conscientização sobre o câncer de pulmão

Agosto é conhecido como o mês de conscientização sobre o câncer de pulmão, que é um dos tipos de câncer com maior incidência e mortalidade na população mundial e brasileira, contemplando mais de 10% de todos os casos diagnosticados.

No país, trata-se do segundo tipo mais comum entre homens e mulheres, de acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) em 2020.

Apesar da redução de mortalidade que houve entre o início e metade da década, ainda assim o câncer de pulmão está entre um dos principais desafios enfrentados pelos profissionais da área da saúde, pois a sua origem está associada principalmente ao consumo de derivados de tabaco.

Esta tendência, inclusive, é um dos fatores que contribui para que o câncer de pulmão atinja majoritariamente o público masculino em relação ao feminino, já que os homens são maiores consumidores de cigarros.

Portanto, a decisão de transformar agosto em um mês de conscientização sobre o tema é fundamental para enfrentarmos este problema de frente e promover uma maior qualidade de vida para a população mundial.

As ações já se iniciam no primeiro dia do mês, com o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Pulmão e se estendem até a última semana do mês, com o Dia Nacional de Combate ao Fumo, que são dois pilares fundamentais para conscientizar a população.

A importância do Urologista na vida dos homens

O urologista é conhecido por ser o médico responsável pela saúde do homem, mas você sabia que ele é muito mais do que isso? O CEONABC já comentou sobre como a mamografia é fundamental para prevenir o câncer de mama. Hoje abordaremos a importância de outra área na saúde de todas as pessoas.

O Urologista é o encarregado de cuidar de todo o aparelho urinário, atendendo também mulheres e crianças. As mulheres costumam ter uma incidência bem superior aos homens quando nos referimos à infecção urinária e cistite. A enurese noturna, popularmente conhecida como “xixi na cama”, que é considerada uma patologia, atinge as crianças. Outras condições como a fimose, tumor de Wilms e criptorquidia (a falta de um dos testículos) são da alçada do Urologista.

Mas, sem dúvida, os homens são os que mais precisam desse especialista. Doenças como câncer de próstata (bem como sua hiperplasia benigna); câncer no pênis e testículos; tumores renais, de vesícula e bexiga; disfunção erétil; ejaculação precoce; DST’s em geral e outras estão na alcunha do médico urologista. Compete a ele também ajudar o homem a compreender suas fisiologias. Dessa forma ele tira inseguranças e aliviar preocupações que muitas vezes estão apenas no campo psicológico.

 

UROLOGISTA SEM TABUS

 

É fato que ainda existe uma certa resistência do homem em ir ao urologista. Dados do Ministério da Saúde mostram que para cada oito consultas ginecológicas acontece apenas uma urológica. A tendência de consultar o médico apenas quando nos sentimos mal ou identificamos algum sintoma estranho deve ser abandonada. A prevenção é sempre o melhor remédio.

Na faixa dos 15 a 35 anos, a maior preocupação é com o câncer de testículo e as doenças sexualmente transmissíveis. Isso ocorre devido à maior atividade sexual nessa fase da vida. Após os 40 anos o foco são os problemas relacionados à próstata.

O maior alvo de preconceitos é o exame de toque retal. Porém ele é indolor e com a duração máxima de 10 segundos. Avaliando tamanho e consistência da próstata, é imprescindível para investigar se há nódulos ou áreas suspeitas de câncer. Deve ser feito a partir dos 40 anos de idade, faixa etária na qual o câncer tem sua maior incidência na vida masculina.

DESMISTIFICANDO OS EXAMES

O exame de toque deve ser associado a outros exames laboratoriais, como o hemograma, glicemia, creatinina, PSA total e parcial e exames de imagem. Juntos, a eficiência no combate de doenças é muito mais efetivo.

O Novembro Azul mais uma vez serviu para conscientizar e abrir os olhos da população masculina para os cuidados em relação ao câncer de próstata. O Centro de Oncologia do ABC apoia os movimentos e campanhas que tenham a saúde como meta e é referência no tratamento oncológico. Estamos prontos para atendê-lo e tratá-lo de forma humanizada e com profissionais da mais ata qualificação.

Siga o CEONABC no Facebook e Instagram para ficar por dentro de nossas novidades e ações.

WhatsApp chat